Trabalhadores da construção civil têm reajuste salarial

16/05/2008

Fonte: Karin Sato
InfoMoney

SÃO PAULO - Os salários de trabalhadores da construção civil de parte dos municípios do interior de São Paulo têm reajuste de 8,51% desde 1º de maio, aumentando para R$ 628,10 por mês ou R$ 2,855 por hora, para 220 horas mensais.

Os presidentes do SindusCon - SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), João Claudio Robusti, da Feticom (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado de São Paulo), Emilio Alves Ferreira, e de 28 sindicatos de trabalhadores do interior do Estado assinaram Convenção Coletiva de Trabalho, nesta sexta-feira (16).

O tíquete-refeição aumentou para R$ 10. Alternativamente, as empresas poderão conceder cesta básica, que passou para 30 quilos, com acréscimo de vários produtos.

Municípios abrangidos

As disposições da convenção valem para os municípios abrangidos pelos sindicatos de trabalhadores da construção civil de Araras, Araraquara, Assis, Barra Bonita, Barretos, Campos do Jordão, Capivari, Cruzeiro, Duartina e região, Franca, Itapeva, Itatiba, Itu, Jaboticabal, Jaú, Marília, Mirassol, Votuporanga, Mococa, Mogi Guaçu, Estiva, Espírito Santo do Pinhal, Itapira, São João da Boa Vista, Aguaí, Santo Antonio do Jardim, Ourinhos, Panorama, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto e Sorocaba e região.

O SindusCon-SP continua em negociações com outros sindicatos do interior de São Paulo que ainda não fecharam acordos. A convenção coletiva para os trabalhadores da capital paulista já foi assinada, também com reajuste de 8,51%.

Regras

Continuam em vigor as demais disposições da convenção coletiva firmada em 2007, como o valor das horas extras, as exigências para a contratação de subempreiteiros, o banco de horas, a possibilidade de contratação de seguro de vida, a possibilidade de opção pelo plano se saúde do Seconci-SP e a formação de duas comissões paritárias: uma para a elaboração de propostas que contribuam para erradicar o déficit habitacional e criar empregos formais e outra para discutir metodologias, formas e modalidades de pagamento da participação dos trabalhadores nos resultados das empresas.



Trabalhadores da construção civil têm reajuste salarial

16/05/2008

Fonte: Karin Sato
InfoMoney

SÃO PAULO - Os salários de trabalhadores da construção civil de parte dos municípios do interior de São Paulo têm reajuste de 8,51% desde 1º de maio, aumentando para R$ 628,10 por mês ou R$ 2,855 por hora, para 220 horas mensais.

Os presidentes do SindusCon - SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), João Claudio Robusti, da Feticom (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado de São Paulo), Emilio Alves Ferreira, e de 28 sindicatos de trabalhadores do interior do Estado assinaram Convenção Coletiva de Trabalho, nesta sexta-feira (16).

O tíquete-refeição aumentou para R$ 10. Alternativamente, as empresas poderão conceder cesta básica, que passou para 30 quilos, com acréscimo de vários produtos.

Municípios abrangidos

As disposições da convenção valem para os municípios abrangidos pelos sindicatos de trabalhadores da construção civil de Araras, Araraquara, Assis, Barra Bonita, Barretos, Campos do Jordão, Capivari, Cruzeiro, Duartina e região, Franca, Itapeva, Itatiba, Itu, Jaboticabal, Jaú, Marília, Mirassol, Votuporanga, Mococa, Mogi Guaçu, Estiva, Espírito Santo do Pinhal, Itapira, São João da Boa Vista, Aguaí, Santo Antonio do Jardim, Ourinhos, Panorama, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto e Sorocaba e região.

O SindusCon-SP continua em negociações com outros sindicatos do interior de São Paulo que ainda não fecharam acordos. A convenção coletiva para os trabalhadores da capital paulista já foi assinada, também com reajuste de 8,51%.

Regras

Continuam em vigor as demais disposições da convenção coletiva firmada em 2007, como o valor das horas extras, as exigências para a contratação de subempreiteiros, o banco de horas, a possibilidade de contratação de seguro de vida, a possibilidade de opção pelo plano se saúde do Seconci-SP e a formação de duas comissões paritárias: uma para a elaboração de propostas que contribuam para erradicar o déficit habitacional e criar empregos formais e outra para discutir metodologias, formas e modalidades de pagamento da participação dos trabalhadores nos resultados das empresas.



PATROCINADORES FABRICANTES
PATROCINADORES APLICADORES / DISTRIBUIDORES