Por que investir na impermeabilização de sua casa?

Por que investir na impermeabilização de sua casa?

O projeto realizado por um profissional capacitado é a melhor forma para proteger a estrutura e aumentar a vida útil do imóvel!

 

Quando uma casa passa de geração para geração sem reformas por conta de reparos, é sinal de que sua durabilidade é elevada. Algo que influencia diretamente nesta qualidade é o projeto de impermeabilização, elaborado ainda no início da construção por um profissional habilitado.

Durante o 15º Simpósio Brasileiro de Impermeabilização, realizado pelo  Instituto Brasileiro de Impermeabilização, a engenheira Julie Anne Braun dos Santos abordou o tema “Projeto de Impermeabilização: Análise da sua relevância e impactos na durabilidade da edificação”, sendo premiada em primeiro lugar na Categoria  – Trabalhos acadêmicos.  Em sua pesquisa ela verificou que problemas como infiltração e umidade podem ser causados por diversos fatores, como chuvas, vazamentos ou má canalização da água. O projeto de impermeabilização que obedece às normas e atenda aos detalhamentos protege a estrutura. Adicionalmente, quanto melhor e mais qualificada for a mão de obra, mais correta a execução de cada detalhe da construção. Neste sentido, o binômio realização de Projeto e mão de obra qualificada contribuem, decisivamente, para uma maior proteção, e, consequentemente, a durabilidade do edifício. A falta de um projeto de impermeabilização aumenta os riscos tornando as construções mais vulneráveis.

Vendo isso na prática, Julie Anne apresentou como exemplo dois estudos de caso durante o 15º Simpósio do IBI Brasil: de um edifício que teve foco no projeto de impermeabilização e execução implantada durante a construção, e outro que teve foco no sistema de impermeabilização mas sem o devido projeto.

No primeiro caso, o projeto foi elaborado conforme a norma NBR 9575:2012 Seleção e Projeto (em fase de Revisão junto à ABNT , com os detalhamentos necessários no memorial descritivo e a especificação dos materiais.  No planejamento, foi feita a avaliação preliminar do sistema de impermeabilização e da técnica de proteção mais adequados. Além disso, foi analisado o tipo de substrato para adquirir estanqueidade, bem como seu comportamento estrutural. Ainda foi considerada a existência de outros possíveis projetos, que poderiam interferir no de impermeabilização, como o de instalação de painéis solares e de prevenção e combate a incêndio. O sistema utilizado foi o de mantas asfálticas aderidas à maçarico, com regularização e preparação do substrato, com caimento de 1% previsto em projeto, cantos e quinas arredondadas e feltrado, além de pintura com solução asfáltica (primer). O teste de estanqueidade foi realizado durante 72 horas. “De acordo com o acompanhado nas visitas técnicas feitas em obra e demonstrado nos registros fotográficos, a execução das etapas de impermeabilização, desde a preparação do substrato até a finalização da camada de proteção mecânica, teve procedência segundo a norma ABNT NBR 9574:2008”, afirma a engenheira.

No segundo caso, o sistema de impermeabilização utilizado foi com membrana acrílica com tela de poliéster em toda a laje, implantado sobre o já existente, com um caderno de projeto básico e especificações técnicas. Ou seja, não houve análise do tipo de substrato e de seu comportamento estrutural, tampouco o detalhamento do projeto. Quanto à aplicação do sistema, não foi dada a devida atenção à execução de meia-cana e ralos, não foram previstas juntas de retração e anti-compressão e nem proteção térmica/mecânica. Depois de apenas dois anos da aplicação, evidências de falhas começaram a aparecer, como fissuras, descascamento do forro na laje e desplacamento da camada de tinta da parede do piso inferior à laje de cobertura, além de manchas de empoçamento, rompimento da membrana acrílica em diversos pontos da laje, desprendimento da tela de poliéster e abertura no encontro da platibanda com a laje.

Sendo assim, fica clara a importância na qualificação do projeto de impermeabilização, visto que traz impactos consideráveis às estruturas a afeta diretamente sua durabilidade. O IBI Brasil recomenda a contratação de um projeto específico de impermeabilização, feito por um profissional especializado da área, além da contratação de empresa aplicadora competente para tal serviço, garantindo a eficiência exigida. Você pode conferir as empresas associadas do instituto em www.ibibrasil.org.br/empresas-associadas/.

 

Sobre o IBI Brasil
O IBI – Instituto Brasileiro de Impermeabilização foi fundado em abril de 1975. É uma entidade técnica sem fins lucrativos, que tem como finalidade principal o estudo, a pesquisa e o desenvolvimento de produtos, serviços e do mercado de produtos químicos voltados para construção civil. Para tanto, promove ações e parcerias com institutos de pesquisa; órgãos públicos; projetistas e universidades. É administrado por um Conselho Deliberativo, eleito pelos sócios, com mandato de dois anos. Congrega em seu quadro sócios beneméritos, fundadores, fabricantes, aplicadores, distribuidores e revendedores de produtos impermeabilizantes e químicos voltados a construção civil, assim como profissionais liberais, professores e estudantes que se interessem pelo assunto – impermeabilização. Informações: www.ibibrasil.org.br – IBI: Rua Major Sertório, 200, 9º andar, CJ. 901 – Centro – São Paulo (SP) – Tel. 11 3255-2506.