Norma de Aderência aplicável em sistema de impermeabilização é atualizada

Comissão de Estudos de impermeabilização apoiado pelo IBI Brasil inclui produtos moldados no local e mantas asfálticas e seus respectivos métodos de ensaio em laboratório!

Os sistemas de impermeabilização devem seguir a Norma Técnica de Aderência aplicável por método de ensaio e ser preparados de acordo com as recomendações dos fabricantes, além de serem aplicados diretamente sobre a estrutura a ser impermeabilizada.

A Comissão de Estudos do CB-022, Comitê Brasileiro de Impermeabilização, responsável pela criação e atualização de normas ABNT neste segmento, se reúne na sede do IBI Brasil – Instituto Brasileiro de Impermeabilização para concluir a revisão da Norma 12.171, devendo entrar em breve para consulta nacional. Trata-se de uma revisão que a tornará mais abrangente.

Na versão atual, a norma prescreve metodologia de ensaios de aderência apenas para materiais impermeabilizantes cimentícios. Com a revisão serão incluídos outros produtos impermeabilizantes como membranas acrílicas, asfálticas, poliméricas e manta asfáltica. “No Brasil, há mais de 30 anos, utilizamos na maior parte dos casos sistemas de impermeabilização aderidos e não tínhamos disponível uma metodologia de ensaio de aderência de um impermeabilizante tradicional como a manta asfáltica”, explica a diretora técnica da Impersolutions, Engenheira Maressa Menezes.

Maressa explica que o produto impermeabilizante deve ser aplicado em substrato padrão conforme a ABNT – NBR 14081-02, com cura mínima de 28 dias. A aplicação do produto impermeabilizante deverá ser conforme a recomendação do fabricante com relação ao preparo de superfície, imprimação, tempo entre demãos e consumo.

Com a revisão, a norma prescreverá a metodologia de ensaio de aderência para mantas asfálticas (Método A) e para as Membranas moldadas no local (Método B) – sendo que a espessura mínima indicada para ensaios em membranas é de 1,00mm. “Outro ponto em relação ao ensaio para as membranas refere-se à possibilidade de medir espessuras do filme seco, em muitos casos relacionada com desempenho e durabilidade dos impermeabilizantes”, completa.

Em função da inclusão de outros impermeabilizantes, o título da norma deverá ser: Aderência aplicável em camada impermeabilizante – Método de Ensaio.

A revisão e tradução do conteúdo estão sob a coordenação da Arquiteta Cirene Tofanetto (Viapol) e secretariada pelo engenheiro Flávio de Camargo Martins (MC-Bauchemie). Embora seja uma metodologia aplicada em laboratório, será um ponto de partida para composição de histórico e avaliação de desempenho de sistemas impermeabilizantes aderidos, que é extremamente relevante para a durabilidade dos sistemas de impermeabilização. Estas metodologias de ensaio podem ser reproduzidas em campo, unicamente com a finalidade de análise das condições de execução de serviços e qualidade do substrato.